20 maio 2012

Origami

    Resolveu partir cedo o sol de domingo
    No céu bicolor detentor daquela nuvem engraçada
    Tu e eu, ontem apenas conhecidos
    Hoje dividimos esse pedaço gelado de calçada

    Tudo ao redor cheira à cidade interiorana
    Calmaria que é oposto da minha feclidade de auto grau
    Cambaleando no ponto final que sempre me engana
    Quero vírgulas, reticências, etecetera e tal

    Sussurrar obrigados e pedir algumas desculpas
    Para mim isto nunca será considerado demasia
    Descubra-me hoje, ontem, e amanhã com perguntas
    Preencha tua boca enquanto tenho de mantê-la vazia

    Fator gostoso é esse de retardar o que desejo
    Deixar para amanhã, depois, ou sabe-se lá quando
    Os toques, entregas, e mentolados-achocolatados beijos
    Que venho de ti esperando, pensando... Pensando!

    Meu bem o que achas de mobiliarmos uma casa?
    Nem tintas temos para sujar as paredes inexistentes
    Quando tu ainda sonhas em voar e ter asas
    Anseio comprar o céu, fazer brilhar teu nome em estrelas cadentes

    Então desdobra-me, por favor, em infinitas partes
    Redobra-me em seguida, conforme te convir
    Faz de mim tua forma preferida, transforma-me na arte
    Que tu manterás presa contigo, jamais permitindo leiloarem por aí

Um comentário: