10 julho 2010

Adeus

Nós sabemos que é proibido
E isso só nos faz continuar
Você diz que sim no primeiro instante
E no tardar põe-se a culpar

Eu faço o que tenho vontade
Por ímpeto, sem pensar
Cansei de importar-me com o que acontecerá
Mesmo se o meu coração no fim quebrar

Então eu vou embora
Só largue o meu braço por favor
Não olhe em meus olhos tristes
Sedentos pelo que eu chamaria de amor

Raiva do teu beijo que me impede
De tomar o caminho certo
Ódio das tuas mãos que me abraçam
Quando o teu corpo ao meu chega perto

Escuto a tua voz que me envolve
E que arranca-me lentamente o ar
Nós sabemos que é proibido
E isso só nos faz continuar


3 comentários:

  1. gente, eu queria poder escrever assim, tão bem. nunca pare de escrever, é algo que você faz maravilhosamente.

    ResponderExcluir